Goste de si antes de gostar de alguém


Só quem tem amor próprio é valorizado, só quem impõe respeito pode ser respeitado!
Não é possível saber amar outra pessoa sem existir amor-próprio ou sem gostarmos de nós! De que forma gosta de si? Aceita-se, valoriza-se, mima-se, cuida-se…a sua forma de gostar de si é que delimita como as outras pessoas podem gostar de si. Não espere que sejam os outros ou a pessoa de quem gosta a fazer isso por si, isso não é possível. As outras pessoas só podem gostar de si e apreciá-la quando se amar a si.  

Amar alguém, não é  o mesmo de fazer tudo pela pessoa de quem gostamos, pela necessidade de gostarem de nós. Não pode dar o que não tem!

Amar é cuidar de si antes de poder oferecer isso aos outros, é estar bem com eles se estiver bem consigo, é dar motivação e valorizar o outro, mas só quando o sentir dentro de si.

Antes de amar alguém, tem de saber quem é e o que deseja. Não pode demitir-se de si, desvalorizar-se, tentar agradar, anular-se para que alguém goste de si ou ultrapassar os seus valores para satisfazer a outra pessoa, isto só revela falta de amor-próprio. Como é que será possível a pessoa que ama dar-lhe valor quando lhe transmite que o mesmo não existe?  

Recear o sofrimento de deixarem de gostar de nós, só prejudica, quando se mostra uma pessoa que não existe e, inventamos uma pessoa imaginária como é que essa pessoa pode ser amada? Como é que pode desejar entregar-se e amar sem reservas e ser correspondida?

Se numa relação amorosa ama sem amor-próprio,  faz tudo pelo outro, aceita tudo e está sempre disponível, para que gostem de si, para ter atenção ou para ser valorizada, como pode ter a expectativa de conseguir ser feliz, sem satisfazer os seus desejos e necessidades. A pessoa que se anula, não será encarada como um objecto sem necessidades próprias. 

Aceitar o que se é, pode ser um processo difícil mas, é mesmo a única forma de cada um de nós reconhecer o seu valor pessoal. Só deste modo, consegue ser feliz consigo próprio e com os outros. É necessário ter equilíbrio interior, para encontrar relacionamentos harmoniosos e emoções positivas. 

Todos temos o nosso lado negro, as nossas fragilidades e imperfeições mas, não podemos deixar de aceitá-las porque também temos muitas qualidades. 

Se pretende ser valorizada, necessita primeiro de se valorizar. Se deseja ser amado, precisa de se amar. Este ciclo só se alcança com auto-aceitação e grandes mudanças pessoais, possíveis recorrendo a ajuda psicoterapêutica para autoconhecimento e alteração de padrões comportamentais.




Preciso de Ti para Ser Eu


Ser quem sou passa por ser capaz de criar ligações ao outro, com o outro e para o outro. Só há pessoas porque há relações. A minha existência é constituída pelos caminhos que sonho, construo e percorro, ao lado de outras pessoas que, como eu, sonham, constroem e percorrem os seus caminhos. Vontades distintas, dinâmica comum. Seguimos, cada um pelos seus princípios, cada um para os seus fins.

O amor leva o ser do seu autor ao ser do que é amado. Amar é ser e ser é amar. Partilhar-se com o outro e com o mundo, num milagre de multiplicação em que quanto mais se dá, mais se tem para dar, mais se é.

Um pequeno erro na base leva a potenciais tragédias nas conclusões. Há quem parta do princípio que o amor é recíproco. Ora, essa ideia simples acaba por ser origem de enormes tragédias pessoais. O amor não é recíproco, é pessoal, nasce no mais íntimo da nossa identidade. Não é metade de nada, é um todo. Precisa do outro como fim, não como princípio.

José Luís Nunes Martins, in 'Amor, Silêncios e Tempestades'




Fiz de mim o que não soube E o que podia fazer de mim não o fiz. O dominó que vesti era errado. Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me. Quando quis tirar a máscara, Estava pegada à cara. Quando a tirei e me vi ao espelho, Já tinha envelhecido.

Fernando Pessoa










Sem comentários:

Publicar um comentário