quinta-feira, 20 de novembro de 2014

A maior das doenças - O Medo



O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta originado pelo receio de fazer alguma coisa, se nos sentimos ameaçados, tanto fisicamente como psicologicamente.

É uma reação que ocorre quando um estímulo físico ou mental, gera uma resposta de alerta no organismo para a pessoa fugir ou lutar.

O medo proporciona em nós um estado de alerta, provocado pelo receio de fazer algo, quando nos sentimos ameaçados, ocorre para nos proteger.

Mas, existem outros momentos em que sentir medo pode ser um impedimento no nosso quotidiano e, nesse momento, o medo deixa de ser natural e transformar-se numa doença -fobia- causando sofrimento psicológico e a comprometer por vezes até as relações sociais.

Aprender a lidar com determinados medos é um processo, às vezes um pouco difícil, mas é a única forma de os ultrapassar e vencer, reconhecê-los, aceitá-los e  ter vontade de os enfrentar é o primeiro passo para atingir o que deseja... especialmente quando consegue perceber, que se perde mais do que se ganha e, depois pode constatar que afinal compensou e que não era assim tão limitador ou apavorante como pensava.

É importante superar os seus medos e todos os receios para não passar a vida a ter de fugir deles. Ter o poder de desfrutar de tudo o que deseja e não ter de contornar ou fugir dos objetivos, é conseguir viver os acontecimentos, mesmo que alguns façam sofrer...é sempre melhor do que não viver com medo do que acontecerá.

Viver poderá conter alguns riscos...mas não viver com medo das consequências, será sempre pior do que não deixar fluir e aprender com as novas experiências.

Toda a nossa vida toda é feita de escolhas e consequências, é para tal muitas vezes temos de correr alguns riscos. Risco de fracassar, de deceção, de rejeição...é necessário ponderar as tomadas de decisão para não ter consequências irrefletidas, mas ficar parado com medo de enfrentar alguns obstáculos pode também limitar-nos ao não descobrir prazeres incalculáveis.

Antes de sentir medo, a pessoa sente ansiedade, por antecipar o contacto com a situação que considera ameaçadora. Sendo assim, é possível traçar-se uma escala de níveis do medo, no qual, o máximo seria o pânico e, o mínimo, uma leve ansiedade.

Se controlar os seus pensamentos pode controlar os seus medos e, consequentemente os seus comportamentos e viver a vida com maior tranquilidade.

Viver é uma proeza e quem ficar parado com medo do que poderá acontecer, nunca ultrapassará os obstáculos que condicionam a sua vida e irá para sempre sentir-se frequentemente insatisfeito e frustrado.

Se sente algum tipo de medo e deseja ultrapassá-lo, pode recorrer a algumas sessões de psicoterapia. O acompanhamento, permite-lhe ultrapassar o que receia e viver sem medo, assim como possibilita identificar todos os sintomas cognitivos e sintomas físicos relacionados com o medo, impedindo assim, que determinados pensamentos, tais como, não vou conseguir, não sou capaz, vou bloquear… sei que vai ser assim por isso é melhor nem tentar …impossibilitem de viver em pleno, por condicionarem os seus objetivos, só por sentir alguns medos e não tentar sequer.

Procure ajuda para os ultrapassar e irá perceber o prazer que pode sentir quando se libertar dos medos que estão a condicionar as suas vivências.

Só quem possui espírito empreendedor pode sonha e alcançar todos os sonhos.

Maria Pascoal




O Pior Medo é o Medo de Nós Próprios

O medo é muitas vezes o muro que impede as pessoas de fazerem uma série de coisas. Claro que o medo também pode ser positivo, em certa medida ajuda a que se equilibrem alguns elementos e se tenham certas coisas em consideração, mas na maior parte dos casos é negativo, é algo que nos faz mal. (...) O pior medo é o medo de nós próprios e a pior opressão é a auto-opressão. Antes de se tentar lutar contra qualquer outra coisa, penso que é importante lutarmos contra ela e conquistarmos a liberdade de não termos medo de nós próprios. 

José Luís Peixoto, in Diário de Notícias